A Queda dum Anjo

A Queda dum Anjo Uma das novelas mais c lebres de Camilo Castelo Branco publicada em no Porto constitui uma not vel caricatura da vida pol tica nacional mas tamb m uma par bola humor stica acerca do desvirtuame
  • Title: A Queda dum Anjo
  • Author: Camilo Castelo Branco António Sousa Homem
  • ISBN: 9789720042132
  • Page: 346
  • Format: Paperback
  • A Queda dum Anjo
    Uma das novelas mais c lebres de Camilo Castelo Branco publicada em 1866, no Porto constitui uma not vel caricatura da vida pol tica nacional, mas tamb m uma par bola humor stica acerca do desvirtuamento do Portugal antigo.O protagonista, Calisto El i, um fidalgo transmontano, austero e conservador, uma esp cie de encarna o sat rica desse Portugal eleito deputado, CaUma das novelas mais c lebres de Camilo Castelo Branco publicada em 1866, no Porto constitui uma not vel caricatura da vida pol tica nacional, mas tamb m uma par bola humor stica acerca do desvirtuamento do Portugal antigo.O protagonista, Calisto El i, um fidalgo transmontano, austero e conservador, uma esp cie de encarna o sat rica desse Portugal eleito deputado, Calisto vai viver para Lisboa, onde se deixa corromper pelo luxo e pelo prazer que imperam na capital, tomando por amante uma prima afastada, Ifig nia, e transitando da posi o miguelista para o partido liberal no governo.Ironicamente, a esposa de Calisto, Teodora, uma alde prosaica, imita o na devassid o vendo se desprezada pelo marido, une se a um primo interesseiro e sucumbe ela pr pria aos v cios da modernidade.
    A Queda dum Anjo By Camilo Castelo Branco António Sousa Homem,
    • [KINDLE] ↠ Free Read ñ A Queda dum Anjo : by Camilo Castelo Branco António Sousa Homem ↠
      346 Camilo Castelo Branco António Sousa Homem
    • thumbnail Title: [KINDLE] ↠ Free Read ñ A Queda dum Anjo : by Camilo Castelo Branco António Sousa Homem ↠
      Posted by:Camilo Castelo Branco António Sousa Homem
      Published :2019-011-14T21:48:24+00:00

    About " Camilo Castelo Branco António Sousa Homem "

  • Camilo Castelo Branco António Sousa Homem

    Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco 1825 1890 foi um dos escritores mais prol feros e marcantes da literatura portuguesa contempor nea tendo sido romancista, cronista, cr tico, dramaturgo, historiador, poeta e tradutor Teve uma vida atribulada, que lhe serviu muitas vezes de inspira o para as suas novelas Foi o primeiro escritor de l ngua portuguesa a viver exclusivamente do que escrevia Durante quase 40 anos, entre 1851 e 1890, escreveu pena, logo sem qualquer ajuda mec nica, mais de duzentas e sessenta obras, com a m dia superior a 6 por ano Prol fico e fecundo escritor, deixou obras de refer ncia na literatura lusitana Apesar de toda essa fecundidade, Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco n o permitiu que a intensa produ o prejudicasse a sua beleza idiom tica ou mesmo a dimens o do seu vern culo, transformando o numa das maiores express es art sticas e a sua figura num mestre da l ngua portuguesa Fonte luso livros biografia Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco 1st Viscount de Correia Botelho , was born out of wedlock and orphaned in infancy He spent his early years in a village in Tr s os Montes He fell in love with the poetry of Lu s de Cam es and Manuel Maria Barbosa de Bocage, while Fern o Mendes Pinto gave him a lust for adventure, but Camilo was a distracted student and grew up to be undisciplined and proud.He intermittently studied medicine and theology in Oporto and Coimbra and eventually chose to become a writer After a spell of journalistic work in Oporto and Lisbon he proceeded to the episcopal seminary in Oporto in order to study for the priesthood During this period Camilo wrote a number of religious works and translated the work of Fran ois Ren de Chateaubriand Camilo actually took minor holy orders, but his restless nature drew him away from the priesthood and he devoted himself to literature for the rest of his life He was arrested twice, the second time due to his adulterous affair with Ana Pl cido, who was married at the time During his incarceration he wrote his most famous work Amor de Perdi o and later it inspired his Mem rias do C rcere literally Memories of Prison Camilo was made a viscount Visconde de Correia Botelho in 1885 in recognition of his contributions to literature, and when his health deteriorated and he could no longer write, Parliament gave him a pension for life Going blind because of syphilis and suffering from chronic nervous disease, Castelo Branco committed suicide in 1890.

  • 562 Comments

  • A obra uma s tira ao momento de mudan a que se vive em Portugal com a Regenera o, s c XIX Um fidalgo Transmontano, em tudo por tudo austero e conservador, que ao mudar se para Lisboa, para exercer o cargo de deputado acaba por se mudar a si pr prio, no sentido lato da palavra, ao se deixar corromper pela lux ria que existe na capital Achei muito atual o tema, mas sobretudo muito muito caricato e divertido Sinceramente fez me rir o antagonismo entre o antes e o depois A transforma o deveras escan [...]


  • Em A Queda dum Anjo, Camilo Castelo Branco apresenta ao leitor um romance intenso e il cito entre o her i do conto, Calisto El i de SIlos, e D Ifig nia Todo o livro de Camilo Castelo Branco uma del cia liter ria da l ngua portuguesa, n o apenas pelo rico vocabul rio do escritor, mas tamb m pela originalidade com que o mesmo desenvolve a hist ria, optando pelo relato na primeira pessoa, o que provoca a sensa o de n o estarmos s a ler a hist ria mas a ouvi la, a senti la Pecando apenas pelo simple [...]


  • The Fall of an AngelThe character Calisto Eloi of Silos and Benevides of Barbuda was a typical Portuguese gentleman of good family He married for interest with D Teodora Barbuda Figueiroa also from good families, and she lived in Ca arelhos It was traditionalist and was always lagged reality, had the habit of reading, but only classical authors When he held the presidency of the Chamber, even for just one day, come to think of resurrecting the old legislation to govern.Calisto was elected and le [...]


  • O fidalgo Calisto El i, por brilhar entre ignorantes, encaminhado para Lisboa com o objectivo de representar os seus eleitores Para tr s deixa a propriedade rural, a esposa trabalhadora e, pouco a pouco, todos os seus escr pulosChegado corrupta capital, o contraste gritante Calisto est fora de modaem v rios sentidos Sem querer reconhecer que o mundo evoluiu, insiste para que se fa am aplicar leis e regras desactualizadas escandaliza se com pouco, critica tudo e est determinado em levar letra os [...]


  • No que toca escrita do autor n o h nada a apontar, mas quando se fala das personagens e do enredo j outra hist ria.O protagonista e suposto anjo , Calisto Eloi uma figura aned tica e puritana, com a mania que sabe muito e um senhor distinto, mas na verdade ridicularizado por grande parte das pessoas que o rodeiam.J a sua mulher, D Teodora, simplesmente cega e igualmente rid cula, por confiar demais nas pessoas e deixar se enredar em coisas que s o areia de mais para a sua camioneta , como diz a [...]


  • Agrad vel surpresa, de f cil leitura Camilo mostra nos a ambival ncia de duas culturas no mesmo pa s O Portugal do rural , do antigo, em contraponto com o Portugal urbano , de Lisboa , do parlamentar Mostra nos como se chega a deputado e como essa nova vida faz alterar a forma de viver e ver os novos tempos, passando do partido Legitimista conservador a liberal.Pontua o humor com a sagaz vis o de um Pa s em mudan a.



  • Publicado em 1866, o romance A Queda dum Anjo para uma vis o r pida e esquem tica da obra ver aqui ou aqui ser , juntamente com Amor de Perdi o, uma das obras mais lidas de Camilo Castelo Branco Algumas leituras apressadas v em na obra uma cr tica corrup o de costumes ou uma par dia ao que se vivia em Portugal, na poca, ou mesmo uma esp cie de gargalhada que Camilo lan a ao rir se de si mesmo A obra talvez permita essas leituras No entanto, elas parecem claramente redutoras daquilo que o romance [...]


  • Sinceramente esperava mais deste livro O seu argumento parece me um pouco gasto O provinciano vem para a a cidade e deixasse corromper pela mesma Parece que os escritores destes tempos viam um ant tese entre o campo virtuoso e a s cidade s como o antro do pecado Eu n o creio que esta dicotomia alguma vez existisse.Quanto vertente mais politica do livro de Camilo Castelo Branco nada de novo acrescenta ao facto de em Portugal n s termos uma avers o vida pol tica mais ou menos end mica Mas, por out [...]


  • N o sou um tradicional apreciador do estilo de Camilo, mas esta novela sobre a queda moral de um grande peixe pronviciano quando se muda do seu aqu rio para o grande mar, foi diferente sem o ser.Penso que a grande diferen a foi a extens o Para o que costuma ser a escrita de Camilo tudo toma uma forma muito mais condensada o que faz com que n o haja grandes delongas nas paix es assolapadas nem com que haja muito espa o para dissertar sobre a trag dia do viver.Facilmente, se quisessemos esconder d [...]


  • N o chamaria Calisto de anjo Desde o in cio que a sua personagem se assemelha mais ao tipo de beata que apregoa e exige a moralidade e bom comportamento dos demais, maldizendo os, apenas porque n o esteve ainda numa posi o similar E, de facto, quando a oportunidade lhe surge, cede imoralidade como todos os outros Mais do que a queda de um anjo, t tulo ir nico, o percurso de um homem comum, que n o foi capaz de agir como falava.Review completa em booktalesblog.wordpress 2


  • Esta novela de Camilo Castelo Branco volta a pegar na s tira de obras como Eus bio Mac rio para criticar novamente a sociedade da poca No entanto, o estilo da prosa algo diferente, mais pesado e um pouco moralista H enormes nacos de texto que, sinceramente, me quebraram imenso o ritmo e a vontade da leitura, e nota se uma grande diferen a do passo da narrativa a certa altura Do autor prefiro os devaneios rom nticos de Amor de Perdi o ou as com dias de costumes Eus bio Mac rio e A Corja.



  • Da transforma o do homem, de rural a urbano de prolixo a comedido no discurso Da encena o pol tica e da competi o da incompet ncia De tudo isto trata o livro Mas nota se, porventura s noto eu, que Camilo queria despachar a encomenda a toda a velocidade Quem sabe se n o teria j recebido do editor os r ditos respectivos Contudo, Camilo a escrever, com a eleg ncia que a sua pena nunca descurou.


  • A Queda dum Anjo a hist ria de Calisto El i, morgado da Agra de Freimas, casado com D Teodora de Figueiroa e deputado eleito s cortes pelo c rculo de Miranda Representando uma posi o legitimista, disp e se a combater a corrup o vigente em Lisboa Os valores que defende s o tradicionais, o que faz com base numa cultura livresca antiquada Combate o abastardamento desses costumes no meio urbano A personagem de Calisto El i sofre uma metamorfose, essencialmente pelo contacto com o meio urbano e pela [...]


  • Calisto El i, morgado de Agra de Freimas, vive numa pequena aldeia, de seu nome Ca arelhos, em perfeita harmonia com a sua esposa, D Teodora de Figueiroa O conhecimento dos cl ssicos, aos quais dedicou as leituras de toda uma vida, encheu o de uma sabedoria moralista e conservadora que faz com que seja eleito deputado pelo c rculo de Miranda A sua presen a em Lisboa e os seus discursos no Parlamento fazem sensa o por causa da defesa da moral dos costumes antigos em detrimento do luxo e dos teatr [...]


  • Been wanting to finish this one for quite some time I had tried to read it before, but I always got stuck in the first few chapters Now I know it really isn t my fault because the book starts with a whole lot of establishing who the main character is, how he behaves, looks and feels about the world, and in particular, politics A Queda D um Anjo is the story of Calisto El i, a simple man from the Minho region who comes to Lisbon because he s persuaded by his closest friends that he should be in t [...]


  • A Queda Dum Anjo o t tulo de um romance sat rico de Camilo Castelo Branco, escrito em 1866.O anjo da hist ria Calisto El i de Silos e Benevides de Barbuda, um fidalgo da prov ncia transmontana que se deixa corromper pelos luxos e pela devassid o de Lisboa, quando para a se desloca para representar a sua terra no Parlamento, como deputado O factor perempt rio para a sua queda foi o amor, sentimento desconhecido para o protagonista at ent o, devido sua pacata vida na sua terra natal, sempre alhead [...]


  • Este livro uma cr tica aos v cios do homem, e embora se foque numa poca passada, n o podia ser mais actual do que efectivamente.Camilo Castelo Branco escreve para o leitor como quem fala com ele, e todo o livro tem reflex es pessoais do autor e coment rios que colocam a hist ria sob outra perspectiva S o como pequenos segredos que s o autor e o leitor conhecem, como se de longe estiv ssemos a observar a vida do protagonista, em vez de estarmos a ler sobre ela.Achei esta forma de escrever sublime [...]


  • j doreA partir de agora, cada vez que me referir a Camilo Castelo Branco, utilizarei a express o J dore para quem se lembra do an ncio de perfume, em que uma tipa entrava dentro de uma piscina com um l quido dourado, dizia J adore e a essa entoa o que quero chegar , porque gosto assim tanto.Hist ria de amor que pretende ser protagonista, mas que disfar a a cr tica social, moral e cultural que CCB faz a Portugal do seu tempo No entanto, se for lido agora praticamente n o existem diferen as, s mai [...]


  • Gosto de Camilo H anos que queria ler livros dele Lembro me de ser pequenina e de passear na papelaria da minha tia a olhar para os livros que um dia haveria de ler e de ter uma especial curiosidade por Camilo Todos me diziam que era um grande romancista portugu s Mas, talvez devido poca em que viveu, convenci me de que teria uma escrita muito intrincada e de dif cil acesso Atualmente, n o podia estar em mais desacordo Apesar do lirismo com que escreve que me leva a sentir um pouco como Calisto [...]


  • A Queda dum Anjo vem relatar um poca retrograda, que recua in cios do s culo XIX para retratar de forma cr tica a sociedade e a pol tica do pa s, real ando de igual modo as fases de transi o de um Portugal antigo para um Portugal moderno Publicada em 1860, esta obra apresenta uma evidente depend ncia com o passado, no passadismo do anjo que cai bem como no contraste com o Portugal atual, sendo que, como refere scar Lopes a obra faz uma s tira da vida pol tica e parlamentar do constitucionalismo, [...]


  • Este o segundo livro que leio de Camilo Castelo Branco e se j n o tinha gostado particularmente de Amor de Perdi o , ainda consegui gostar menos deste A Queda dum Anjo.Calisto El i um morgado transmontano, conservador e defensor dos bons costumes, que eleito deputado e enviado para Lisboa, onde acaba por ceder s tenta es da capital Eu percebo a tentativa de criticar os costumes da poca, principalmente das grandes cidades, que poderiam ser vistas como bo mias, mas n o me convenceu a vis o entre a [...]


  • Excelente Camilo Castelo Branco, com a maestria que lhe t pica, constr i uma engra ad ssima narrativa onde n o fica pedra sobre pedra seus personagens s o todos impiedosamente achincalhados E isso em meio a cenas de rasgada ironia e comicidade Camilo consegue escancarar ao leitor todos os v cios e fraquezas morais de seus personagens, mas o faz sem dio, sem rancor, sem despeito As gargalhadas plautinas que o livro oferece s o impag veis Nota aqui para a lide parlamentar entre Calisto El i e o af [...]


  • Em primeiro lugar devo dizer que h muito tempo que n o me custava tanto seguir uma narrativa O estilo de Camilo divertido e sat rico, mas tamb m faz uso de um portugu s bastante complexo e n o muito acess vel Embora tenha andado um bocado perdido em certas descri es, ou par grafos mais aprimorados, a verdade que esta Queda de um Anjo tem pormenores deliciosos a hist ria de um provinciano muito versado nos cl ssicos, Calisto El i, que eleito deputado da Assembleia em Lisboa, aos poucos vai se dei [...]


  • Teniendo en cuenta el momento hist rico literario en el que se escribe esta novela, cabe destacar su ret rica, los argumentos, el amplio vocabulario, la descripci n, la iron a, el estilo todo No obstante, por ser una lectora del s XXI todos esos elementos que hacen del libro una gran obra y de Camilo Castelo Branco un cl sico de la literatura portuguesa me resultan en ocasiones pesados Con los discursos en la tribuna del parlamento me pierdo, al final no s qu estaban discutiendo Demasiadas met f [...]


  • Camilo Castelo Branco um escritor genial Pena que tivesse de viver da escrita, porque isso em alguns casos obrigou o a escrever, do que se ressentiu a qualidade de algumas das suas obras N o o caso desta A hist ria est bem constru da, as personagens, se bem que caricaturadas, s o nossas conhecidas Portugueses, e Portuguesas, de todos os tempos O livro merecia que eu o saboreasse mais e com mais tempo para merecer que Camilo, como seu h bito, dialogasse com o seu leitor, numa alegre e bem dispost [...]


  • uma hist ria simples, mas bem contada Espirituosa e divertida, cai no entanto no exagero em determinadas situa es, for ando certas atitudes e caracter sticas s personagens que provavelmente n o seriam t o lineares fora do universo fict cio Em todo o caso, uma deliciosa ilustra o dos costumes da poca muito semelhantes aos dos nossos nossos dias.A linguagem, essa, riqu ssima se bem que um pouco floreada e afastada do Portugu s corrente.


  • Sobre o livro trata se de um romance sat rico que descreve a corrup o da personagem principal, o fidalgo Calisto Barbuda, ao mesmo tempo que faz uma caricatura da vida social, da pol tica e dos costumes de Portugal naquele tempo daqueles livros que se l em em tr s tempos Gostei muito da hist ria, achei muito ir nico, ao mesmo tempo que era engra ado tamb m Imposs vel n o achar piada a algumas passagens.


  • I just love to read Camilo Castelo Branco s works The story is so funny and the characters are so likeable I got lost sometimes when I was reading, because Camilo stops the action to describe things And he spends so much time describing that when he returned to tell the story and the action continued, I had to go back and see where werer we before.


  • Post Your Comment Here

    Your email address will not be published. Required fields are marked *